12/05/15

CHAPÉUS DE TODO O MUNDO! Exposição temporária




“Chapéus de todo o Mundo” é o título da exposição temporária que estará patente no CONSOLATA MUSEU |Arte Sacra e Etnologia partir do dia 9 de maio, sábado. A exposição resulta de uma parceria entre o Museu dos Missionários da Consolata e o Museu da Chapelaria do Município de S. João da Madeira, ambos credenciados pela Rede Portuguesa de Museus.

Esta exposição de chapéus permite conhecer exemplares dos cinco continentes, mostrando a diversidade de materiais, estética e cores. A temática da multiculturalidade enquadra-se harmoniosamente com a missão do CONSOLATA MUSEU, detentor de valiosas coleções etnográficas, oriundas sobretudo de África, América e Ásia. Além disso, o museu está situado em Fátima, local onde convergem anualmente milhares de peregrinos oriundos de várias partes do mundo.

Prevista para o mês de outubro de 2015, será a vez dos chapéus do CONSOLATA MUSEU partirem até ao MUSEU DA CHAPELARIA onde estarão expostos neste conceituado Museu de S. João da Madeira, fomentando a partilha de saberes, de coleções e parcerias entre museus.

A exposição poderá ser visitada de terça-feira a domingo das 10h00 às 19h00. Visitas guiadas para grupos por marcação prévia através do e.mail museurtesacra@consolata.pt ou do telefone número 249 539 470.


*******************

CHAPÉUS DE TODO O MUNDO
Se ao prazer da viagem for aliado o gosto pela história e pela cultura, corremos o risco de querer trazer connosco um pouco de todos esses lugares que nos são diferentes mas que, no fundo, não são mais do um de “nós” em outro contexto cultural.
A exposição “Chapéus de todo o Mundo” representa muitas dessas viagens e resulta da generosidade de todos os viajantes que ofereceram ao Museu o chapéu que adquiriram em diversas partes do Mundo.
Retratar simbolicamente a cultura de determinado País, através de um chapéu, é o desafio desta exposição, que propõe aos seus visitantes o confronto com o Outro e com as especificidades sociais e culturais que ajudam a construir múltiplas identidades.
De certo modo, pretendemos levar o visitante a refletir acerca da riqueza humana que agrega e consolida os povos porque, como diria Daniel Serra Vaz, um dos maiores colecionadores privados de chapéus, esta exposição “permite dar a volta ao mundo sem sair do mesmo local”.

0 comentários: