06/10/15

CAMINHADA DA LIGA DOS AMIGOS DO MUSEU - Martinho Costa - À descoberta das suas obras




No dia 17 de outubro, sábado, pelas 14h30, a Liga dos Amigos do Consolata Museu promove a caminhada “Pinturas ao Ar Livre | Martinho Costa – à descoberta das suas obras”. Com a presença do artista, o grupo irá percorrer vários trilhos encontrando as suas pinturas sobre espaços da natureza da Serra d`Aire.

Pinturas ao Ar Livre é um projeto de produção de pinturas feitas em espaços exteriores. A cada espaço específico corresponderá uma imagem específica escolhida de acordo com uma possibilidade de diálogo com as características desse lugar.

Este projeto pretende deslocar pontualmente a prática de pintura do eixo atelier-galeria de arte/museu. O artista pretende acompanhar, provocar e estudar o modo como a natureza através da ação do tempo acabará por inevitavelmente se libertar destas imagens pintadas.

A participação é livre e o percurso terá uma duração aproximada de uma hora e trinta minutos. O ponto de encontro está marcado para as 14h30 no Adro da Igreja de Boleiros, em Fátima.


*******

O projeto “Pinturas ao Ar Livre” http://pinturasarlivre.blogspot.pt/, começou há um ano a partir de um convite para fazer uma pintura exterior no espaço da Fábrica do Braço de Prata, em Lisboa. As Pinturas ao Ar livre são intervenções diretas sobre espaços na natureza. Comecei por desenvolver este projecto como forma de dar uma nova resposta ao fluxo de pintura que quotidianamente vou produzindo. Entusiasmou-me imediatamente a ideia de deixar noutros locais, imagens pintadas que são escolhidas para dialogar com a especificidade do lugar. A natureza nas suas múltiplas formas e suportes surge assim como mais uma forma de dar escoamento à minha pintura. Não numa lógica de provocação aos meios convencionais de apresentação da obra de arte: os museus e as galerias, mas antes numa procura de outros suportes no meio natural e urbano. Pensando nestes locais como um imenso campo aberto, tão infindável quanto a imensidão de imagens que nos circunscrevem, e que têm sido a fonte do meu trabalho. Uma pedra, um muro, uma folha de plátano, uma tampa metálica ou uma batata, têm sido até agora os suportes eleitos para ativar imagens que provêm da internet, do cinema, e da Historia de Arte.


Pinturas ao Ar Livre é um projeto de produção de pinturas feitas em espaços exteriores. A cada espaço específico corresponderá uma imagem específica escolhida de acordo com uma possibilidade de diálogo com as características específicas desse lugar.
Este projeto pretende deslocar pontualmente a minha prática de pintura do eixo atelier-galeria de arte/museu. Pretendo acompanhar, provocar e estudar o modo como a natureza através da ação do tempo acabará por inevitavelmente se libertar destas imagens pintadas.

MARTINHO COSTA, 1977

Vive e trabalha em Lisboa.

Licenciado em Artes-Plásticas - Pintura, pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, em 2002. Em 2003 completa o Mestrado em Teoria y Prática de las Artes Plásticas Contemporâneas na Universidad Complutense de Madrid. Em Setembro de 2012 foi artista residente no CeRCCa, Centre de Recerca i Creacio Casamarles, Barcelona com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

O seu trabalho maioritariamente em pintura, vídeo-animação e recentemente em intervenções no espaço público, tenta refletir sobre o modo como as imagens que nos rodeiam são incorporadas nestes suportes artísticos. Este processo de transformação sobre objetos do presente, ocorre sobre uma investigação da história da pintura. Tentando uma atualização dos principais géneros e temas da pintura.
Participa em diversas exposições coletivas desde 2000, de onde se destacam: Pedra, Project Room na feira de arte emergente Just Mad em Madrid; Respublica, 1910 e 2010 Face a Face, na fundação Calouste Gulbenkian; Entre as Margens – Representações da Engenharia na Arte Portuguesa, no museu Soares dos Reis, Porto; O Fim do Mundo, Abbaye de Neumunster, Luxemburgo; prémio de pintura Fidelidade, Culturgest, 2006; Narrações Fragmentadas, Galeria Liebre em Madrid;
Das exposições individuais que realiza desde 2003, destacam-se: Unnecessary Repetition of Meaning na Galeria Silvestre em Tarragona; Les Statues Meurent Aussi na Galeria 111 em Lisboa; 48 Retratos na ArteContempo, Lisboa; O Diário de Robert Stern (2011), Galeria 111, Lisboa;
É ainda o autor do projeto Pinturas ao Ar Livre documentado no blog http://pinturasarlivre.blogspot.pt


0 comentários: