21/04/17

«VIAJAR PELO MUNDO» Chá com Arte




O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 3 de maio, quarta-feira, às 21h30, mais um “Chá com Arte”. Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa com o convidado especial Francisco Moura, diretor do Departamento do Turismo Religioso e Cultural da GeoStar que falará do seu livro «VIAJAR PELO MUNDO».
Francisco Moura nasceu na Guarda e é licenciado em Gestão Turística e Hoteleira.
Em 2005 publicou o livro “Itinerários de Fé” em coautoria com o historiador Paulo Mendes Pinto. Em 2010 foi distinguido com o prémio Presented in Appreciation, pelo Ministério do Turismo de Israel, pelo trabalho desenvolvido durante 35 anos, em prol do turismo daquele país.
Da Europa, palco de grandes civilizações, ao misticismo da Ásia, passando pelo mistério de África, sem esquecer a grandiosidade da América, a maravilhosa Oceânia e o fascínio da Antártida, Viajar pelo Mundo apresenta-se como um compêndio de viagens onde os leitores podem viajar pela história e cultura de 124 países e regiões visitados pelo autor durante a sua carreira profissional.
O livro estende-se por mais de 1300 páginas, preenchidas com 3000 retratos apaixonantes dos continentes e países, onde não faltam 4000 atrações a visitar e relatos de histórias.
FRANCISCO MOURA, natural da cidade da Guarda, nasceu a 26 de Janeiro de 1947. Concluiu o curso de Correio de Turismo da Escola Hoteleira de Lisboa, tem bacharelato em informação turística, licenciatura em Gestão Turística e Hoteleira, frequentou cursos de história e de egiptologia. Durante a sua longa carreira profissional iniciada em 1971, na Agência Internacional Viagens Mélia, exerceu vários cargos diretivos, tenho sido nomeado diretor geral comercial para Portugal em 1982, cargo que exerceu ate 1990, quando, em conjunto com outros companheiros, fundou a Profissional Tours, que no ano 2000 foi integrada na Geotur (mais tarde GeoStar), onde criou e dirigiu o departamento de Turismo Religioso e Cultural, cargo que exercerá até Dezembro de 2016.
Durante os 40 anos de exercício profissional, visitou mais de 120 países e participou em variados congressos, seminários, cursos técnicos e “trade shows”. Publicou vários artigos sobre itinerários turísticos para várias revistas e teve várias presenças em programas televisivos, nomeadamente na R.T.P.2 e na TVI. Entre 1990 e 2003 participou na R.R. no programa Despertar de António Sala e Olga Cardoso, com uma rubrica semanal,“ Ementa Turística”, sobre itinerários internacionais. Em 2005 publicou o livro “Itinerários de Fé “ em coautoria com o historiador Paulo Mendes Pinto.
Em 2010 foi distinguido com o prémio “Presented in Appreciation”, pelo Ministério do Turismo de Israel, pelo seu trabalho em prol do Turismo daquele País ao longo de 35 anos. Presentemente é professor da cadeira História e Turismo, nas Universidades Seniores de S. Domingos de Benfica e das Avenidas Novas, e está a preparar a defesa da dissertação do Mestrado em Ciências das Religiões da Universidade Lusófona.
Sinopse
Trata-se de um Guia de Viagens, que refere os 124 países que visitei não só do ponto de vista profissional, mas também enquanto viajante, ao longo da minha carreira profissional de mais de 40 anos. O Guia tem 1350 páginas , com cerca de 3 000 fotos, (95% da minha autoria), e apresenta -se dividido pelos 6 Continentes, ( inclui a Península da Antártica) onde cada país é apresentado como uma ficha técnica, e com descritivo histórico das localidades e dos monumentos selecionados. O lançamento desta obra coincide com a passagem de testemunho na direção da área de negócios que dirijo, e reflete a minha visão do mundo que vivenciei , tendo em conta conhecimentos adquiridos ao longo da minha vida em estudos universitários, na área da historia, da egiptologia, e das ciências das religiões.

20/04/17

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS - Rota dos Pastorinhos entre Fátima e Ourém


Para assinalar o Dia Internacional dos Museus, 18 de maio, e tendo por base o tema proposto pelo ICOM (Conselho Internacional de Museus) – “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”, o Museu Municipal de Ourém e o Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia organizam uma programação conjunta intitulada “Rota dos Pastorinhos entre Fátima e Ourém”.

Estes dois espaços museológicos, credenciados pela Rede Portuguesa de Museus, possuem nos discursos expositivos áreas dedicadas aos Pastorinhos de Fátima. 

O Museu Municipal de Ourém – Casa do Administrador, associa-se à história das Aparições por ter acolhido os três videntes, Jacinta, Francisco e Lúcia entre 13 e 15 de agosto de 1917. Essa ocorrência teve como mediador Artur Oliveira Santos, figura da história local que ocupava o cargo de Administrador do Concelho, e por isso interferiu no fenómeno religioso interrogando as crianças e alojando-as em sua casa.

O Consolata Museu apresenta a Sala dos Pastorinhos que expõe a relíquia do Beato Francisco Marto, o seu barrete oferecido aos Missionários da Consolata pelo pai, Manuel Pedro Marto, em 1956 .


Com transporte de autocarro gratuito, número limitado e sujeito a marcação prévia no Museu Municipal de Ourém (Tel: 249 540 900 (6831) | tlm: 919 585 003), o programa consiste em visitas guiadas  a Aljustrel (Casas de Lúcia, Jacinta e Francisco Marto), ao Consolata Museu (Sala dos Pastorinhos e mostra  de trabalhos criativos das crianças sobre as Aparições), antigos Paços do Concelho de Ourém, Casa do Administrador e ao Memorial Jacinta Marto (Jazigo do Barão de Alvaiázere; Projeto do arquiteto Korrodi) no Cemitério Municipal de Ourém. 

05/04/17

À conversa com alunos da Universidade Sénior de Fátima «Fátima. Olhares…»



O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 20 de abril, quinta-feira,  às 21h00, um “Chá com Arte” especial, no âmbito do encerramento da exposição temporária «Fátima. Olhares…».

Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com os alunos da Universidade Sénior de Fátima.

A exposição foi concebida em parceria com a Liga dos Amigos do CONSOLATA MUSEU e a Universidade Sénior de Fátima (Centro de Estudos de Fátima), tendo os alunos sido desafiados a fotografarem espaços-memória de Fátima, Cova de Iria e arredores, peregrinações, serviços e locais que ao longo dos anos se foram transformando.


São testemunhos e memórias de vários momentos da história local e com isso se assinala o Centenário das Aparições de Fátima na perspetiva da comunidade local, de onde muitos são originários ou que por motivos profissionais e pessoais aqui vieram residir. Nas suas pesquisas foram encontradas fotografias inéditas da Cova de Iria, folhetos turísticos, mapas, materiais escolares das Escolas Primárias encerradas, brinquedos e outros objetos de interesse.

30/03/17

“ Influências Lusas na arquitetura de imigrantes portugueses em França” - CHÁ COM ARTE




O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 18 de abril, terça-feira, às 21h00, a bem sucedida atividade “Chá com Arte”. Após a habitual degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com Ana Saraiva que nos irá falar a partir do tema  “ Influências Lusas na arquitetura de imigrantes portugueses em França”.














Sinopse
Num relato ao longo de um século (1900-2015), são descritos três tipos habitacionais da arquitetura popular em Portugal: a “casa do trabalhador rural” (1900­‑1960), ligada à agropecuária; a “casa do emigrante” (1970-2015), ligada à emigração e a mudanças profundas nos campos; e a “casa emblematizada” (1990-2015), ligada à reificação da tradição.
Narrativas e biografias em torno da casa incidem nos campos portugueses, com estudos de caso na Alta Estremadura e em Ourém, e estendem-se à periferia de Paris para mostrar os impactos da emigração em Portugal e em França expressos na arquitetura doméstica.
Estas leituras são feitas a partir de um olhar contemporâneo atento à globalização e ao transnacionalismo e que reflete continuidades e descontinuidades na arquitetura popular e nas trajetórias identitárias dos portugueses no último século.

Nota biográfica:

Antropóloga, mestre em museologia e património, doutorada em antropologia (especialidade de políticas e imagens da cultura e museologia) pela Universidade Nova de Lisboa. Investigadora associada ao CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia) com trabalhos sobre identidade, património e museus. 

23/02/17

«FÁTIMA. Olhares... » - Exposição temporária


Abrirá ao público, com inauguração marcada para o dia 3 de março, às 18h00, a exposição temporária «FÁTIMA. Olhares... ». 

Concebida em parceria com a Liga dos Amigos do  CONSOLATA MUSEU e a Universidade Sénior de Fátima (Centro de Estudos de Fátima), os alunos foram desafiados a fotografar espaços-memória de Fátima, Cova de Iria e arredores, peregrinações, serviços e locais que ao longo dos anos se foram transformando.

São testemunhos e memórias de vários momentos da história local e com isso se assinala o Centenário das Aparições de Fátima na perspetiva da comunidade local, de onde muitos são originários ou que por motivos profissionais e pessoais aqui vieram residir.

Nas suas pesquisas foram encontradas fotografias inéditas da Cova de Iria, folhetos turísticos, mapas, materiais escolares das Escolas Primárias encerradas, brinquedos e outros objetos de interesse.

A exposição pode ser visitada das 10h00 às 17h00 até ao dia 16 abril. Encerra às segundas-feiras.

01/02/17

“Voluntariado Missionário” - CHÁ COM ARTE!


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 15 de fevereiro, quarta-feira,  às 21h00, a bem sucedida atividade “Chá com Arte”. Após a habitual degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com quatro convidadas especiais da noite para falar do “Voluntariado Missionário”.

Maria João Lopes e Joana Peixoto são voluntárias dos Missionários da Consolata. A primeira é médica e esteve na Costa de Marfim em 2013 em missão, preparando a sua ida para a Guiné-Bissau no próximo mês de março. Joana Peixoto é educadora de infância, tendo feito missão por um ano em Moçambique.

Helena Reis e Ana Aleixo, ambas professoras do Centro de Estudos de Fátima, foram no passado ano para São Tomé através das Missões Claretianas.

Conhecer as experiências pessoais sobre a Missão, as realidades encontradas, as dificuldades, os resultados e as suas perspetivas sobre o que deve ser a Missão hoje, são alguns dos assuntos que serão abordados na terceira sala da exposição permanente do museu, dedicada exclusivamente ao mundo missionário e ao caminho do Evangelho através dos cinco continentes.


09/01/17

CHÁ COM ARTE -“A Casa dos Patudos, José Relvas e a sua paixão pelas artes"


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos realizarão no próximo dia 17 de janeiro, terça-feira, às 21h00, a bem sucedida atividade “Chá com Arte”. 

Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa com o convidado especial da noite, NUNO PRATES, Conservador da Casa dos Patudos - Museu de Alpiarça, cujo tema será “A Casa dos Patudos, José Relvas e a sua paixão pelas artes".

Na Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça encontra-se uma vasta coleção de arte, onde se destaca a pintura e a escultura, mas também as artes decorativas.

A coleção tem peças de diferentes proveniências, entre elas peças indo-portuguesas, ou seja, peças produzidas na Índia principalmente entre os séculos XVI, XVII e XVIII com uma mistura cultural entre Portugal e Índia. Estas peças marcam intercâmbios que se notam especialmente nas formas, iconografias, técnicas, nos materiais e no espírito missionário do povo português.

O período dos descobrimentos portugueses, que se inicia no século XV com a conquista de Ceuta, no Norte de África. Continente que vai introduzir novas técnicas no continente Europeu, que depois são exportadas para a Índia no final do século XV, com a chegada dos portugueses a este país em 1498.

Na coleção da Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça destacam-se os contadores indo-portugueses do século XVIII, assim como as colchas bordadas a seda, sobre linho também do século XVIII e ainda tapeçarias sino-portuguesas do século XVII. No que diz respeito à influência africana, destaca-se sobretudo o mobiliário.
Na Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça, a coleção de Arte Sacra é também muito importante e composta por pintura, escultura e paramentos, com uma abrangência cronológica desde os finais do século XV até ao século XX.

02/12/16

"CHÁ COM ARTE" - “À mesa com os 7 pecados capitais”


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá recomeçar a segunda temporada da bem sucedida atividade “Chá com Arte” no próximo dia 13 de dezembro às 21h00. 

São convidados Zita Seabra e o Padre Gonçalo Portocarrero de Almada que falarão a partir da obra do pintor e gravador holandês Hieronymus Bosch “Mesa dos Pecados Capitais”, quadro-painel património da Casa Real Espanhola, adquirido pelo rei Filipe II de Espanha. Foi a partir desta obra que surgiu o livro “À mesa com os 7 pecados capitais”, cujos convidados do “Chá com Arte” são co-autores.

***************************
“À mesa com os 7 pecados capitais” no “Chá com Arte”, em Fátima

O livro “À mesa com os 7 pecados capitais”, uma publicação da Alêtheia Editores com Zita Seabra e o padre Gonçalo Portocarrero de Almada como co-autores, é apresentado em Fátima na noite de 13 de Dezembro, numa das iniciativas habituais do Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia: o “Chá com Arte”. O chá é servido às 21:00, as entradas são livres e gratuitas.

“Tivemos conhecimento de que o Chá com Arte, promovido pelo Museu dos Missionários da Consolata, congrega de forma periódica para um encontro sobre um tema relacionado com arte, daí que nos pareceu muito oportuna a apresentação do livro neste ambiente, já que teve como ponto de partida uma obra de arte, que acabou por servir de mote para uma conversa-entrevista sobre o tema do pecado”, explica Zita Seabra.

“O Chá com Arte decorre periodicamente numa das salas da exposição permanente, onde, após a degustação de chá e biscoitos, num ambiente intimista, surge um momento de entrevista e tertúlia com um convidado especial de reconhecido mérito do mundo das artes e cultura. Neste caso, teremos dois convidados, a Zita Seabra e o padre Gonçalo Portocarrero de Almada”, refere o director do Consolata Museu, Gonçalo Cardoso.

O ponto de partida para o livro “À mesa com os 7 pecados capitais” é a obra do pintor e gravador holandês Hieronymus Bosch “Mesa dos Pecados Capitais”, quadro-painel património da Casa Real Espanhola, adquirido pelo rei Filipe II de Espanha, actualmente em exposição no Museu do Prado, em Madrid.

Mas o tema do pecado está ou não na moda? Para Zita Seabra, “se falar de pecados está completamente fora de moda, muito longe das preocupações pós-modernas, é certo que, frequentemente, na escrita, na pintura, no cinema, se volta aos 7 pecados capitais”.

No caso, o tema é trazido à ordem do dia por meio da literatura e da comunicação, com este diálogo, no qual que Zita Seabra entrevista o padre Gonçalo Portocarrero de Almada. Faz sentido nos tempos de hoje a confissão perante um padre ou basta falar com Deus directamente, como fazem os protestantes? Há perdão para todos os pecados mesmo os mais graves? Estas são algumas das perguntas que importa ver respondidas.

“Ninguém pode fazer a maravilhosa experiência do misericordioso perdão de Deus, se antes não se souber pecador. E, como se pode reconhecer como tal se não sabe o que é o pecado?!”, refere o padre Gonçalo Portocarrero de Almada, para sublinhar que, por isso, “em boa hora”, Hieronymus Bosch “pintou a mesa em que retratou os sete pecados capitais, dos quais procedem todas as faltas graves ou leves”.

O Padre Gonçalo Portocarrero de Almada nasceu em Haia, Holanda, em 1958. Licenciou-se em Direito na Universidade Complutense de Madrid, e doutorou-se em Filosofia pela Universidade Pontifícia da Santa Cruz, em Roma. Ordenado sacerdote em 1986, exerce o seu ministério no âmbito da prelatura do Opus Dei.

Zita Seabra é autora de várias publicações. Desde 2005, dirige a Alêtheia Editores, da qual é fundadora, assim como a Várzea da Rainha Impressores. Há longos anos no meio editorial, foi editora da Quetzal e também administradora e directora editorial da Bertrand Editora.

LeopolDina Reis Simões


Para mais informação: Alêtheia Editores | Rua do Século, 13, 1200-433 Lisboa | (+ 351) 210939748 | aletheia@aletheia.pt

Em serviço de Assessoria de Imprensa para a Alêtheia Editores:                                               
LeopolDina Reis Simões (+351) 962 747 440 | dinareissimoes@gmail.com

“Tarde de Poesia Natalícia”


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, organizam no dia 3 de dezembro, sábado, pelas 16h00, uma “Tarde de Poesia Natalícia” com declamação de poemas elaborados por algumas crianças do 1.º ciclo de Fátima (Agrupamento de Escolas de Ourém) a partir da coleção da Sala da Natividade do museu.

Acompanhada com diversos momentos musicais e algumas surpresas, esta atividade pretende, através das crianças, chamar a atenção do verdadeiro significado do Natal. 

Este projeto surgiu em 2001 com grande êxito, repetindo-se durante sete anos consecutivos. Retomou-se o evento como forma de aproximar o museu da comunidade, dando a conhecer uma notável coleção de presépios e Meninos Jesus desde o século XVI aos nossos dias.


A entrada é livre. 

21/11/16

“À Conversa sobre...O VINHO”...


A LIGA DOS AMIGOS DO CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia promove no dia 29 de novembro, terça-feira, pelas 21h00, a atividade “À Conversa sobre...O VINHO”.

Luis Vieira é o convidado especial para uma conversa sobre o vinho, num ambiente intimista e de tertúlia, abordar-se-á a história do vinho, propriedades, significado do vinho na eucaristia, entre outros assuntos. Além da oportunidade de degustarem o vinho da Quinta do Gradil, os participantes terão à disposição castanhas assadas, assinalando o mês de São Martinho.

«Luis Vieira (…) é dono e administrador da Quinta do Gradil, em Vilar, no concelho do Cadaval. O seu avô, António Gomes Vieira, iniciou o comércio de vinhos na região de Fátima, em 1945, desencadeando aquilo que viria a ser uma tradição familiar. O filho continuou-lhe o negócio. E o neto também. A ligação ao mundo dos vinhos, dado o ambiente em que cresceu, é-lhe por isso natural. Pode-se dizer que lhe está entranhada desde sempre. “Quanto tinha aí uns três ou quatro anos, lembro-me de saltar frequentemente sobre a abertura de um depósito de vinho e, uma vez, tive o azar de falhar o salto e cair lá dentro. Ia-me afogando, pois estava a afundar nas borras e, se não me tirassem, lá ficava”, recorda Luís, sorriso denotando o gozo conferido pelo instinto de contar um daqueles episódios que sabe serem de apetite certo para qualquer jornalista». ( IN http://www.revistadevinhos.pt/artigos/show.aspx?seccao=enoturismo&artigo=10607&title=quinta-do-gradil-nos-antigos-dominios-do-marques&idioma=pt

07/10/16

25.º ANIVERSÁRIO DO CONSOLATA MUSEU!




O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia celebrará no próximo dia 13 de outubro o seu 25.º aniversário.

O dia será assinalado das 10h00 às 19h00 com entradas livres no Museu, oferta de lembranças e a abertura de exposição temporária «25 Anos» com obras oferecidas ao museu por artistas que aqui expuseram ao longo destes últimos 25 anos.

RE(Ver) A ARTE CRISTÃ Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja – 18 de outubro



VISITAS GUIADAS À IGREJA COLEGIADA DE OURÉM E AO CONSOLATA MUSEU| ARTE SACRA E ETNOLOGIA - FÁTIMA

Aceitando o desafio do Secretariado Nacional para os Culturais da Igreja para celebrar o Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja, 18 de outubro, dia de S. Lucas, padroeiro dos artistas, o Museu Municipal de Ourém e o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia organizam em parceria um programa de visitas guiadas gratuitas à antiga Colegiada de Ourém (Vila Medieval de Ourém) e à coleção de arte sacra do Consolata Museu, em Fátima.

Programa:
14h00 – Saída de autocarro do parque do Seminário da Consolata (Fátima)
14h15 - Saída de autocarro dos Paços do Concelho (Cidade de Ourém)
14h30 - Visita à Colegiada de Ourém (Vila Medieval de Ourém)
16h00 - Visita ao Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia (Fátima)
16h45 - Regresso a Ourém

Transporte de autocarro gratuito, sujeito a marcação prévia no (Museu Municipal de Ourém Tel: 249 540 900 (6831) |tlm: 919 585 003 | museu@mail.cm-ourem.pt) e no Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia Tel: 249 539 470.

Esta iniciativa procura promover a reflexão e partilha do trabalho desenvolvido no contexto das dioceses portuguesas, mas também debater novas propostas de atuação, avaliar dificuldades e identificar os principais desafios a enfrentar.

O tema proposto para o presente ano é «(Re)Ver a Arte Cristã». Instrumento permanente de formação e recurso inesgotável de apreciação cultural, visa um novo olhar sobre a arte cristã, enquanto expressão do culto e radicada na própria essência da experiência religiosa.