15/11/17

“FÁTIMA HOJE” - Exposição temporária colectiva de fotografia


Irá inaugurar no CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, no dia 21 de novembro, terça-feira, pelas 21h00, a exposição temporária colectiva de fotografia “FÁTIMA HOJE”.

Organizada pelo museu e sua Liga de Amigos, a mostra expõe trabalhos de fotógrafos locais, retratando alguns aspetos ligados a Fátima, depois do centenário das Aparições.

Durante a inauguração decorrerá a atividade " Chá com Arte" com momentos de tertúlia com os fotógrafos e convidados.


Os visitantes poderão admirar os trabalhos de Ana Paula Ribeiro, António Marto, Fernando Pereira, Francisco Pedro, Graça Marques e Isaura Marques.

12/10/17

DIA NACIONAL DOS BENS CULTURAIS DA IGREJA




Para assinalar o Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja, 18 de outubro, quarta-feira, o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá oferecer aos seus visitantes várias ofertas, surpresas e duas visitas guiadas ao museu e às reservas sem pagamentos extra. A primeira visita terá início às 15h00 e a segunda às 16h30.

10/10/17


No âmbito do encerramento da exposição temporária «A Minha Romagem à Fátima | Padre João De Marchi», patente ao público no CONSOLATA MUSEU| Arte Sacra e Etnologia desde o passado dia 5 de maio, iremos realizar no dia 21 de outubro, sábado, às 16h00 um "Chá com Arte" especial sobre o tema "João De Marchi e a mensagem de Fátima no mundo".

Estarão à conversa sobre o tema o Padre Aventino Oliveira (Missionário da Consolata), o Padre Doutor Luciano Cristino e a Doutora Margarida Rézio (CEHR – Universidade Católica Portuguesa de Lisboa).

Será também apresentada na sessão a monografia "Itinerário Missionário do Padre João De Marchi" de Margarida Rézio e Gonçalo Cardoso.


Descrição do evento:


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em parceria com a sua Liga de Amigos (LaMase), realiza mensalmente a atividade «Chá com Arte», a decorrer numa das salas da exposição permanente, onde após a degustação de chá e biscoitos, num ambiente intimista, surgirá um momento de entrevista e tertúlia com convidados especiais de reconhecido mérito do mundo das artes, cultura e religião.  

30/09/17

NUNCA MAIS É SÁBADO! Oficinas para crianças



O Serviço Educativo do Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia apresenta um programa para todas as manhãs de sábado, dirigido a crianças dos 6 aos 12 anos, promovendo diversas atividades lúdicas e artísticas que decorrerão entre as 10h00 e as 12h30.

Teatro de fantoches, jogos de descoberta, oficinas de pintura, visitas aos bastidores do Museu (Reservas, Biblioteca, Sala de Restauro), aventuras missionárias, música, dança e muitas surpresas estarão semanalmente disponíveis aos participantes.


As inscrições devem ser efetuadas até à quinta-feira anterior através do telefone 249 539 470.

“100 anos de Fátima”



No dia 7  de outubro, sábado, às 16h00, vai ser apresentado ao público no Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia o livro de fotografia “100 anos de Fátima” da autoria de Graça Marques. 


PREFÁCIO

As fotografias são uma forma tão pura e profunda de exprimir os sentimentos. Elas revelam-nos a essência daquilo que é o coração.

A Graça é uma apaixonada pela fotografia e empresta ao seu trabalho uma pureza simultaneamente profunda e depurada. Tem uma coleção de fotos de diversos ambientes e de várias situações do quotidiano espiritual.

As fotografias deste Livro revelam-nos Fátima naquilo que ela tem de especial e transcendente. O santuário de Fátima é um centro de encontro de vários povos, diferentes culturas e distintas religiões. Fátima é uma casa de oração, de contemplação, de experiência de paz e de vivência da misericórdia de Deus.

Nestas fotografias, Graça leva-nos a ver Fátima com olhos de superação. As suas fotografias mostram-nos a beleza de um espaço onde o Divino se renova permanentemente. Mostra-nos o coração de Fátima.

Esperamos que, ao ver estas fotos, toda a pessoa humana possa encontrar paz e alegria.

Padre Custódio Langane



GRAÇA MARQUES vive e trabalha em Fátima, muito perto do Santuário, ao qual dedica atenção quase diária, registando muito da vida daquele local de culto, o de maior referência no nosso país e não só.

Há muito apaixonada pela fotografia é frequente viajar acompanhada da sua câmara e tem o bom hábito de partilhar as suas imagens em diversos sites de fotografia e redes sociais, onde tem centenas de fiéis seguidores.


A sua intensa atividade profissional impede-a de poder evoluir como gostava em termos técnicos, assumindo por isso ser uma autodidata, mas a sua perseverança e amor pela fotografia fá-la seguir em frente, apoiada na sua sensibilidade e necessidade de mostrar tudo o que a encanta e emociona.

10/08/17

VISITAS GUIADAS


Durante o mês de agosto, o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá oferecer aos seus visitantes visitas guiadas sem pagamentos extra. 
As visitas decorrerão de terça a sábado às 16h00, com a duração de 60 minutos. Não carecem de marcação prévia e não é necessário número mínimo de participantes.
Tutelado pelo Instituto Missionário da Consolata, este museu reúne uma vasta coleção de elevadíssimo interesse artístico e cultural, promovendo o encontro com a beleza, a arte, a história e a cultura.
Através das suas coleções de Arte Sacra, que espelham os diferentes passos da vida de Cristo, e de Etnologia, que fazem eco dos mais longínquos lugares relacionados com a Missão, o visitante é levado a contemplar as mais surpreendentes peças da cultura artística cristã e a tomar contacto com povos e culturas de todo o mundo. A sua ligação ao espaço onde se implanta aparece especialmente vinculada através do espólio relacionado com os videntes de Fátima apresentado na Sala dos Pastorinhos.

26/05/17

Papa Francisco, Nossa Senhora de Fátima, São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto em bOOnek


Há quem fale pelos cotovelos. A artista plástica Estela Baptista Costa fala pelos bOOnek.

Papa Francisco, Nossa Senhora de Fátima, São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto, são os novos trabalhos à venda em exclusivo no Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia.

​«Os boonek são ilustrações pintadas sobre tecido e convertidas em bonecos. Sendo eu ilustradora para a infância senti sempre necessidade, também como mãe, de fazer chegar às crianças uma imagem mais infantil dos santos.

Os meus filhos pedem-me bonecos dos super-heróis e brincam com eles. Penso que a melhor forma de educar as crianças na Fé e fazê-los perceber quem foram os santos é tornar essas personagens mais palpáveis, mais apelativas para as crianças.

Porque é que os santos não podem ser super-heróis? Foi nesse sentido que fiz estes boonek sobre os santos, para os tornar mais próximos das crianças, para que eles possam querer dormir agarrados a uma Nossa Senhora ou ao Papa, ou aos pastorinhos que são também crianças e que se encaixam neste mundo muito bem, porque são crianças para outras crianças e que, segundo o milagre que os levou à canonização, são crianças que cuidam de outras crianças. É, também, uma forma de evangelizar».

***

Estela Baptista Costa nasceu nas Caldas da Rainha em 1975. Viveu a sua primeira infância no meio das árvores e da terra gravando assim no seu ADN a marca da natureza. Talvez tenha sido aí que tenha nascido o seu amor pelas árvores que tenta imortalizar na sua gravura.

Formou-se em Artes Plásticas na atual ESAD (Escola Superior de Arte e Design) no último ano do segundo milénio. Três anos antes, no mesmo sítio, conheceu Bartolomeu Cid dos Santos com quem descobriu e partilhou os mistérios da Gravura e com quem teve o privilégio de trabalhar em diversas ocasiões. Também em 2000 fez o curso de ilustração infantil na Fundação Calouste Gulbenkian e desde então que se dedica violentamente à gravura a par com a ilustração de livros infantis.

Já trabalhou num Museu, teve um romance de Verão com um pomar de pêra-rocha, trabalhou com crianças, fez artesanato urbano, fez exposições por Portugal, Espanha e França e coordenou a Companhia do Eu (escola de escrita criativa), do poeta e escritor Pedro Sena Lino, onde aprendeu a esculpir palavras.
Desde 2011 que se empenha no curso mais importante da sua vida, o da maternidade.

Sempre que pode volta à aldeia onde cresceu para sentir o cheiro da terra e abraçar as árvores.

20/05/17

Arte Sacra em Fátima - CHÁ COM ARTE


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima,  e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 30 de maio, terça-feira,  às 21h30, o último “Chá com Arte” da temporada. 

Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com o convidado especial Marco Daniel Duarte que abordará o tema “ Arte Sacra em Fátima”.

A próxima temporada arrancará em final de setembro, pretendendo-se discutir várias áreas desde a missão, religião, a arte, etnografia, antropologia, música, entre outros temas.

***
Marco Daniel Duarte é diretor do Serviço de Estudos e Difusão do Santuário de Fátima, onde dirige o Museu da Instituição, e do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima. 

Doutorado em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tem desenvolvido os seus estudos no âmbito do saber da Iconografia e da Iconologia, áreas sobremodo ligadas à arte sacra antiga e contemporânea. 

Pertence à Academia Portuguesa da História, como Académico Correspondente, é Sócio Efetivo da Associação Portuguesa de Historiadores da Arte, Membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa e Colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra. 


Em 2009 foi nomeado para integrar o Grupo Técnico Coordenador do projeto Rota das Catedrais, cujo protocolo foi celebrado entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa. Autor de vários estudos publicados em revistas científicas e editados em livro, alguns deles premiados, tem também comissariado diversas exposições científicas subordinadas às temáticas da sua especialidade. 

11/05/17

NOITE DOS MUSEUS


No dia 20 de maio, sábado, o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá juntar-se à 13.ª edição europeia da “Noite dos Museus” onde centenas de museus da Europa estarão abertos à noite com várias atividades.

Este museu estará aberto até às 0h00 realizando pelas 21h30 uma “Visita Guiada à Luz da Lanterna com momentos musicais surpresa” a cargo da fadista LUISA VILAS BOAS.
A entrada é livre, mas como número limitado a 30 pessoas, sujeita a marcação prévia através do telefone 249 539 470.


BREVE BIOGRAFIA DE LUÍSA VILAS BOAS
Natural de Barcelos, Luísa Vilas Boas nasceu em 1980 e desde muito cedo começou a revelar o gosto e talento pela arte musical. O fado foi surgindo num ambiente familiar que muito tem incentivado a fadista e a inspira na sua expressão.
A sua primeira participação pública no fado deu-se na V Grande Noite do Fado de Braga, em 2005. Desde então tem percorrido Portugal Continental e Insular, e o estrangeiro em magníficas salas de espetáculo e nas mais caraterísticas casas de fado.
Em 2007 venceu a IV Gala de Fado de Santo Tirso. No I Concurso de Fado da cidade de Vila Nova de Famalicão, em 2011, foi aclamada a grande vencedora, deixando o público ao rubro com as várias interpretações.
No ano seguinte, 2012, editou o seu primeiro álbum, no qual se podem ouvir fados tradicionais mas também alguns originais, como “Para Sempre”, “Maria Tristeza” e “Referência”. Com a frescura de uma voz jovem mas madura, cativa pela espontaneidade e reinterpretações de sucessos antigos. Poetas como Alfredo Marceneiro, Pedro Homem de Mello, David Mourão Ferreira, Maria Teresa Horta, e José Guimarães estão presentes nos temas interpretados.
Custódio Castelo, Samuel Cabral, António Cardoso, Mário Henriques, Miguel Amaral, Manuel Reis e André Teixeira são alguns dos nomes dos músicos e amigos que têm acompanhado Luísa Vilas Boas ao longo da sua carreira.
Professora de profissão, dedica-se ao fado de alma e coração em cada momento da vida.
Se o fado é a mais elevada representação portuguesa, então, diz a fadista: "O Fado voa no meu coração e percorre todo o meu corpo. Cresce como raízes... Explode em cada melodia e eu vivo e torno a viver!"

10/05/17

CRIF - Centro de Reabilitação e Integração de Fátima expõe no CONSOLATA MUSEU!


No âmbito do Centenário das Aparições, estarão expostos, de 13 de maio e 13 de outubro de 2017, no hall da recepção do CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia quatro trabalhos dos utentes do CRIF - Centro de Reabilitação e Integração de Fátima.
O número quatro corresponde ao número de siglas do CRIF e todos os dias 13 de cada mês os trabalhos serão substituídos pelos de outros artistas da mesma instituição. Neste mês de maio é Luís Lasota a ter oportunidade de expor as suas pinturas.
O Centro acolhe cerca de cento e vinte utentes com necessidades especiais, ao nível da deficiência física e mental. Muitas destas crianças têm expressões ao nível artístico que são desenvolvidas e orientadas pelas várias equipas profissionais da instituição.
A visita é livre e pode ser admirada de terça a domingo com o seguinte horário: 10h00-13h00 |14h00-18h00.

29/04/17

"A minha romagem à Fátima | Padre João De Marchi" - Exposição temporária


Abrirá ao público, no dia 5 de maio, no CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, a exposição temporária "A minha romagem à Fátima | Padre João De Marchi"

A exposição homenageia este missionário da Consolata italiano que chega a Fátima em 1943, fundando em 1944, na Cova de Iria, o primeiro Seminário de Nossa Senhora de Fátima da Consolata de Portugal.  

Em 1945 publica o livro Era uma Senhora mais Brilhante que o Sol, aquela que é uma das obras de referência sobre Fátima. Um trabalho de trezentas páginas que se transformaria num “best-seller”, traduzido em diversas línguas (italiano, inglês, espanhol, francês, alemão e holandês).

Na primeira edição o autor apresenta um texto intitulado «A minha romagem à Fátima». Chega em junho de 1943 como peregrino, vindo de Lisboa a pé até Leiria onde é recebido pelo bispo da Diocese e de lá parte, já em automóvel, com o motorista do bispo para a Cova de Iria, descrevendo a cidade de Leiria da época, a breve paragem no Mosteiro da Batalha, a passagem pelo Reguengo do Fétal, a chegada ao recinto do Santuário de Fátima, a procissão de velas, a conversa com os peregrinos e doentes, as histórias e lendas da princesa moura Fátima e Gonçalo Hermingues, e finalmente a conversa com o Manuel Pedro Marto, pai de Jacinta e Francisco.

O percurso expositivo segue os subcapítulos designados por De Marchi, procurando conhecer as suas descrições dos lugares, dos peregrinos, das suas pesquisas que mostram a importância do livro como fonte histórica, etnográfica e turística de Fátima, da região, bem como a importância da figura do Padre João De Marchi e dos Missionários da Consolata para a divulgação da Mensagem de Fátima para o Mundo no âmbito do Centenário das Aparições.


A exposição apresenta as primeiras edições do livro Era uma Senhora mais Brilhante que o Sol, fotografias inéditas da Cova de Iria da década de 40 do século XX do arquivo da Revista Fátima Missionária, entre elas, a foto de De Marchi com a Irmã Lúcia  em 1946, aquando da sua vinda a Fátima após deixar as Irmãs Doroteias para entrar no Carmelo de Coimbra, sendo-lhe pedido que corrigisse o livro, tendo efetuado ligeiras correções. Vários objetos e fotografias da Quinta do Campo (Valado de Frades - Nazaré) também se encontram expostos, local onde os Pastorinhos de Fátima estiverem algum tempo junto da família  Yglésias O’Neill e que De Marchi terá visitado no sentido de se inteirar da passagem dos três Pastorinhos pela aquela localidade.  

27/04/17

Trabalhos criativos das crianças sobre as Aparições de 1917


Encontram-se expostos no CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima, junto à “Sala dos Pastorinhos”, onze trabalhos artísticos de crianças que representaram as “Aparições de Fátima”.

Esta iniciativa, para assinalar o Centenário das Aparições, foi promovida pela disciplina de EMRC (Educação Moral e Religiosa Católica) do Agrupamento de Escolas de Ourém e no Agrupamento de Escolas Cónego Dr. Manuel Lopes Perdigão (Caxarias), integrada nas atividades Departamento de Ciências Sociais e Humanas.

Tendo como destinatários os alunos dos 1º e 2º ciclos, estes foram desafiados a representar uma das cinco aparições de Nossa Senhora na Cova da Iria, utilizando materiais recicláveis e materiais recolhidos na natureza, devendo ser construídas em conjunto com os membros da família (irmãos, pais, avós, tios…).

Com este projeto, além de se assinalar o Centenário das Aparições, promoveu-se a defesa do ambiente, em resposta à encíclica “Laudato Si” do Papa Francisco, motivou-se a participação dos Encarregados de Educação na vida escolar e desenvolveu-se a criatividade e espírito de iniciativa. Promoveu-se igualmente o conhecimento de um importante momento da história do concelho de Ourém.


Os trabalhos poderão ser admirados até ao 13 de outubro de 2017, de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.